• Flavio Moreira

Plano de carreira

Você possui um planejamento de carreira ou acredita que isso é coisa para quem trabalha em grandes empresas?

Imagem de Gabrielle Henderson via Unsplash


Eu tinha a impressão de que o assunto plano de carreira fosse pauta apenas de grandes corporações. Quando iniciei minha trajetória no mercado de trabalho, há mais de 13 anos, me pareceu que essa discussão só fazia sentido para quem trabalhava nas gigantes de todo o mundo.


A mensagem que me era comunicada dizia que as empresas deveriam proporcionar isso aos seus colaboradores. E ai, eu até cheguei a ouvir coisas do tipo"essa empresa tem plano de carreira e essa outra não".


Naquele época, eu ainda estava entendo o que isso queria dizer. Para falar a verdade, eu não tinha uma opinião para dar sobre aquilo, mas aos poucos, fui entendendo (e não estou de dizendo que está certo ou errado) que essa responsabilidade de proporcionar tal planejamento ficava a cargo das empresas.


Hoje, depois de 13 anos como profissional, eu tenho uma visão sobre o que, no meu entendimento, é um plano de carreira. Eu gostaria de compartilhar isso com você aqui no post de hoje.


Se você tem entre 25 e 39 anos como eu, deve entender que nossa geração pegou a transição de muitas coisas no mundo, desde a revolução da comunicação e das mídias com a popularização da internet e computadores até o mercado de trabalho.


Hoje é possível fazer uma entrevista de emprego de casa, vestindo camisa social, gravata e chinelo (claro que o recrutador não está vendo que você está de Havaianas). Quando poderíamos imaginar isso há 10 ou 15 anos?


Não foram só as entrevistas que passaram por transformações, mas também, o que passou a acontecer, na prática, em relação a vivência dessa palavra.


A internet, os notebooks, os smartphones, os aplicativos e a velocidade exponencial do crescimento da tecnologia possibilitaram e facilitaram a execução de atividades e profissionalização de hobbies a apenas poucos cliques.


Por exemplo. Até meus 21 anos eu queria ser vocalista e guitarrista da minha banda de rock para o resto da minha vida. Em 2007, ano em que mais fiz shows com a minha banda, nós tínhamos que nos deslocar para estúdios longe de nossas casas, juntar dinheiro durante meses para pagar caro e realizar a gravação de uma música em um estúdio que recebia por hora de gravação.


Hoje, qualquer um que seja um músico não profissional consegue realizar uma gravação de excelente qualidade dentro do seu quarto, apenas com um notebook, um software de gravação de áudio, seu instrumento, uma placa de interface e microfone.


Ele ainda pode vender e disponibilizar, com poucos cliques, a sua música para o mundo todo em menos de 5 minutos depois de gravada. Esse cara tem mais chances de ser um rock star em 2020 do que eu em 2007.


Esse profissional amador da música de 2020 também pode ser designer gráfico em uma agência de marketing e pode ainda ganhar dinheiro participando de alguma equipe profissional de seu jogo preferido de videogame.


Eu acabei de descrever um exemplo plenamente viável de carreira de uma única pessoa no ano de 2020. Isso é real! Pode existir e acontecer desde que a pessoa tenha essas habilidades e possua um interesse genuíno em realizar essas atividades. Claro que demanda alguma capacidade para fazer uma boa administração do tempo.


Agora, também entendo que o plano de carreira deve ser criado pelo próprio profissional. Este não deve esperar que uma empresa diga e defina como vai ser sua trajetória. Cada indivíduo deve ter o seu planejamento de carreira independente se a empresa oferece ou não.


A pessoa deve saber quais são suas metas profissionais, as empresas em que deseja atuar, os cargos que deseja ocupar, assim como em que áreas transitar. Se vai ser dono de seu próprio negócio desde o início ou depois de X anos de carreira. Quanto quer receber de salário ou pro-labore, quando vai colocar uma meta mais ousada.


Quem disse que durante a sua vida profissional você vai fazer somente uma única coisa? Quem disse que sua carreira vai se resumir ao ramo do curso em que você se graduou? Você vai mesmo precisar de uma graduação?

Não há certo, nem errado. Mas a atual Era é mais flexível do que qualquer outra anterior, pelo que temos de registros históricos. Você começa e termina a carreira num mesmo e único ramo se assim quiser. Por opção, e tudo bem.


No entanto, o mundo de hoje não só permite movimentos e transições com maiores constâncias, como também oferece condições viáveis e a alcance de todos aqueles que estiverem preparados para essas transições.


Nem todos alcançarão tantas transições. Muitos não vão ter sequer mais de um emprego até a aposentadoria, se assim ela existir até os próximos anos. Muitos serão os que manterão a mentalidade fixa de um padrão, rotina e roteiro definido como O Certo, que foi entregue a eles pelos pais e por uma sociedade que ainda resiste a certas mudanças.


Muitos dos que não alcançarem esse movimento do novo, invejarão aqueles que conseguem e os colocarão em dúvida e desconfiança. Porém, na verdade, eles não conseguirão lidar com o fato de que eles mesmos não conseguiram abandonar uma mentalidade padrão do roteiro que lhes foi entregue e que eles seguem por obediência, medo ou qualquer crença que os limitaram de evoluir.


Por isso, as provocações:


  • Você tem um plano de carreira?

  • Quem será você como profissional daqui a três, cinco, dez e vinte anos?

  • Por quais empresas terá passado?

  • Em que ramos terá atuado?

  • Quais atividades terá executado?

  • Quais negócios terá criado?

  • Terá criado negócios?

  • Usará os seus talentos?

  • Terá criado soluções para a vida em sociedade com suas habilidades?

  • Terá vivido do que veio a esse mundo para ser ou do que fizeram você viver?

  • Terá trabalhado para viver ou terá vivido para trabalhar?


Perguntas um tanto quanto filosóficas talvez, mas vale a pena questionar essas coisas enquanto ainda podemos fazer algo por nós e pelos demais. Algo que nos faça pensar sobre a vida que vale a pena ser vivida.


Algo que nos afaste de um dia viver um momento em que não se tenha orgulho da história que viveu por não ter vivido a vida que queria.



Se você tem de 25 à 39 anos e tem a sensação de estar frustrada(o), com medo do futuro e se sente perdida(o) por uma falta de direção e objetivos quanto a sua carreira ou vida pessoal, eu posso te ajudar. Eu sou Flavio Moreira e ajudo jovens adultos a desenvolveram a inteligência emocional para obter clareza de seus objetivos e atingir metas pessoais ou profissionais. Você pode entrar em contato pelo meu endereço de e-mail que está nas informações de rodapé aqui no site ou demais redes sociais de contato. Será um prazer atuar como um facilitador na sua jornada! Fale comigo se você acredita que posso te ajudar!

Conheça e ouça os meus podcasts, Vem Cmg e Vem Cmg Expresso:

Ouça no Spotify

Ouça em Apple Podcasts

Ouça no Google Podcasts

Ouça no CastBox

Conheça o meu canal no YouTube:

Vem Cmg no YouTube

3 visualizações0 comentário